Atletismo: modalidade conquista o gosto dos resende-costenses

Esporte ganha novos adeptos e se difunde em Resende Costa e região


Esporte

Vanuza Resende0

Equipe Novo Amanhecer conta com grande número de atletas que levam o nome de Resende Costa a divesas cidades de Minas Gerais (Foto divulgação)

Bermudas leves, regatas na cor laranja, tênis nos pés, cabelos devidamente amarrados e lá vão eles para mais um percurso de 6 a 8 km. Quem estava na Praça do Rosário, centro de Resende Costa, naquele fim de tarde do mês de janeiro pôde presenciar mais uma saída para treino dos atletas da Equipe Novo Amanhecer. Além do gosto pela corrida e trajes parecidos, não tinham muitas outras semelhanças. Homens, mulheres e alguns garotos. Estaturas variadas, a diferença de idade era perceptível. Alguns saíram em ritmo mais leve, outros já mostravam velocidade nos primeiros metros.

Talvez essa particularidade do atletismo, de não apresentar nenhuma ou quase nenhuma restrição para se tornar um corredor, seja um dos motivos da modalidade estar ganhando cada vez mais adeptos. Em Resende Costa, no ano de 2009 eram apenas quatro atletas integrantes da Equipe Novo Amanhecer. No início de 2018, aproximadamente 100 pessoas já integram o grupo.

Luiz Nei Resende, da Equipe Novo Amanhecer, é uma forte liderança do atletismo em Resende Costa. Questionado sobre o crescimento do esporte, ele destaca a necessidade das pessoas de praticar alguma atividade física: “A corrida é um esporte que traz bastante benefício para as pessoas. É um esporte barato; você coloca uma camiseta, um tênis e pode correr. As inscrições das provas são baratas e isso permite o acesso de todo mundo ao esporte”.

Para Carlos Eduardo, membro da Equipe Novo Amanhecer e um dos incentivadores da prática do esporte, os treinos foram fundamentais para o crescimento da equipe. “Começamos com cinco ou 10 pessoas treinando à noite. Como é cidade pequena, um amigo chama outro amigo e assim vira 12, 15 e hoje estamos com essa quantidade de pessoas na equipe”, diz Carlos.

De treino a treino surge a vontade de começar a disputar corridas. A Equipe Novo Amanhecer sempre traz na bagagem das provas que disputa troféus e medalhas. Na maioria das vezes, um ou mais atleta da equipe sobe ao pódio. “Troféu é apenas consequência dessa brincadeira toda”, pondera Carlos.

Segundo Luiz Nei, a equipe participa de uma média de duas provas mensais. Essas provas costumam reunir entre 40 a 50 atletas. No entanto, ainda de acordo com Luiz, quase todo fim de semana tem algum atleta de Resende Costa disputando corridas em alguma parte de Minas Gerais. “Sempre há dois ou três atletas que vão para alguma cidade. Aqui na região, nossa equipe já tem respeito. Temos atletas bem fortes, que chegam nas provas”, comemora Luiz Nei.

 

Presença feminina

Luciana de Fátima Resende, 17, já esteve nas fileiras das crianças de 9 a 12 anos. Parou de correr durante dois anos e voltou ao esporte aos 14. O seu retorno às corridas aconteceu quando ela disputou uma prova noturna de 6 km em Resende Costa e subiu ao pódio. “Eu fiquei em 3° lugar geral, mas na época tinha muito menos mulheres que hoje. Não me lembro ao certo quantas mulheres tinha nessa prova, mas não chega perto da quantidade que tem hoje”, diz Luciana. Em 2017, ela disputou 16 corridas e chegou ao pódio em todas elas.

O gosto de Luciana pelas corridas começou dentro de casa, através da influência do seu pai. “O meu pai, Edivaldo, corre desde que eu me entendo por gente. Ele sempre me influenciou desde criança até agora”. Edivaldo Gonzaga Resende, completará 60 anos neste ano. Ele é membro ativo da Equipe Novo Amanhecer desde a sua fundação em 2009. Para ele, ter a filha disputando corridas é motivo de orgulho. “Eu que sou apaixonado por corrida acho bacana, né?! Cada vez que (ela) chega lá é emocionante, ainda mais sendo minha filha. Fico satisfeito, feliz e espero que continue assim”, declara Edivaldo, orgulhoso da filha atleta.

A presença feminina já é uma realidade nas corridas. “Quando nós começamos a correr não tinha mulheres correndo. Sobravam troféus na categoria. Hoje a disputa é acirrada”, diz Luiz Nei. Luciana comenta que não raro ela encontra algum caso de resistência ao bom desempenho da mulher no esporte. “Observo que alguns homens estão andando, quando veem que tem uma mulher atrás começam a correr de novo. Em uma corrida, eu ultrapassei um corredor que disse que eu deveria ter pedido licença. Isso não acontece, ninguém fala ‘ei, dá licença que estou passando’. Ele só falou isso porque eu era uma mulher e naquele momento tinha passado por ele”, conta Luciana. Mas, de acordo com ela, “no geral a nossa presença é muito respeitada; já teve corrida com mais mulheres do que homens. Isso é muito bom porque a mulher tem a vez de tudo, inclusive nas corridas”.

Luciana diz que consegue conciliar, sem nenhum problema, suas obrigações diárias com o atletismo. “Concilio sem grande sacrifício”, afirma a atleta adolescente. “Já troquei festas no sábado à noite para correr em corridas noturnas, mas, já cheguei de muitas festas no sábado e fui correr no domingo”, conta Luciana, que dá a dica para um bom desempenho nas provas: “É importante ter uma boa noite de sono antes de disputar provas, e é só dosar para manter o bom desempenho”.

 

Estilo de vida

Luiz Nei nem pensa em parar de correr. “É um estilo de vida, né? Sempre tem alguma coisa que você faz fora da sua rotina de trabalho e te dá prazer. Chega no fim de semana você quer fazer alguma coisa diferente, quer sair e estar com os amigos, e a corrida te proporciona isso”, diz o atleta.

“Como que você quer chegar aos 70, 80 anos de idade?! Eu já vi pessoas dessa idade correndo e você não acredita. No momento é muito bom ficar parado e ‘tranquilão’, mas e daqui há alguns anos?”, questiona Carlos.

Quem tem a intenção de fazer de 2018 um ano de novas conquistas, construir novas amizades e começar a praticar esporte basta procurar um dos membros da Equipe Novo Amanhecer e começar a treinar. “Aqui somos igual a um coração de mãe: sempre cabe mais um”, garante Carlos, que convida novas pessoas a integraram a equipe.

 

Provas nas ruas de Resende Costa

No sábado 27 de janeiro, 132 atletas de Resende Costa e cidades da região disputaram a prova Night Run, em prol do Hospital Nossa Senhora do Rosário. Com a inscrição dos atletas, foram arrecadados grande quantidade de alimentos, 61 litros de leite e R$ 2.330,00.

 Além da Night Run, o calendário 2018 prevê mais três corridas em Resende Costa: Meia Maratona, no dia do aniversário da cidade, 2 de junho; Corrida das Lajes e a Corrida de Nossa Senhora Aparecida. A Equipe Novo Amanhecer planeja ainda realizar algumas provas rurais.

 A Corrida das Lajes será em prol da APAE. Trata-se da terceira prova realizada nos últimos anos com o objetivo de arrecadar recursos financeiros para a instituição. Neste ano, Carlos pretende levar à corrida um aluno cadeirante da APAE. “Eu sempre brinco com ele, empurrando-o na cadeira. Ele é louco por corrida. Quando ele sente o vento no rosto, diz que adora. Ele é cego e não anda, mas eu já arrumei uma cadeira própria para que ele possa participar dessa corrida com a gente”, planeja Carlos.

Luiz Nei, que está à frente da organização das provas, fala sobre as corridas beneficentes: “É unir o útil ao agradável. A gente faz aquilo que gosta, que é correr, e unimos esse nosso gosto às ações beneficentes”.

 

Incentivo às crianças

As corridas de Resende Costa, além de conceituadas e respeitas pelos atletas da região, têm um diferencial que é o incentivo às crianças a se iniciarem no esporte. Todas as provas possuem a categoria infantil. Importante frisar que não é cobrada taxa de inscrição. Devido a esse incentivo, alguns atletas que hoje correm pela Equipe Novo Amanhecer já participaram, em anos anteriores, de corridas infantil e juvenil.

Deixe um comentário

Faça o login e deixe seu comentário