Livro sobre cantora Clara Nunes será lançado por professor de Resende Costa


Cultura

José Venâncio de Resende0

fotoCantora Clara Nunes (fonte: Wikipedia).

O livro Clara Nunes: nas memórias de sua irmã dindinha Mariquita (Editora Jaguatirica) será lançado, virtualmente, neste sábado (27), às 15h30, no Instagram @claranunesumserdeluz. Em seguida, haverá bate-papo entre o autor Josemir Nogueira Teixeira e o historiador Rafael Teodoro.

“Este livro salda uma dívida de vários anos”, diz Josemir, amazonense de Parintins e professor de filosofia, desde agosto de 2017, na Escola Estadual Assis Resende, de Resende Costa.

A mineira Clara Nunes (1942-1983) foi um dos grandes ícones da música e da cultura popular brasileira. A obra é baseada numa série de entrevistas feitas pelo autor com a irmã mais velha da cantora, Maria Gonçalves da Silva, a dona Mariquita, falecida há três anos.

Além de ser uma nova fonte de conhecimento e pesquisa sobre uma das artistas mais emblemáticas do samba, o livro é um “registro de memórias”, segundo a professora Sílvia Brügger, do Departamento de Ciências Sociais da UFSJ, que escreveu o prefácio. “Não é uma pesquisa histórica ou mais uma biografia, mas o relato de uma pessoa que viveu muito próxima, que foi praticamente a mãe dela, pois Clara ficou órfã muito cedo.”

A partir de entrevistas feitas em Caetanópolis (MG), Josemir construiu seu texto, aproximando as temáticas que surgiram nas longas conversas gravadas com dona Mariquita.

Sabiá da MPB

Um dia em uma conversa, Dindinha Mariquita disse que queria fazer o registro de suas lembranças, conta Josemir Teixeira, que é bacharel pela Faculdade Eclesiástica João Paulo II, com licenciatura pela UERJ, mestrado e doutorado pela UFRJ. Ela queria deixar registrado as suas memórias de família com sua irmã e, assim, “ajudar as pessoas que muitas vezes batiam na porta de sua casa a lhe fazerem perguntas sobre Clara Nunes”.

Embora tivesse sido destacado para essa tarefa, Josemir garante que “foi um trabalho amoroso”. A narrativa de suas memórias se desenvolveu a partir de um contexto: a família, pois era de onde ela queria mostrar sua irmã Clara Nunes, relata o autor. “Dona Mariquita apresenta, na trajetória da família Gonçalves, aquela que viria a se transformar no sabiá da música popular brasileira.”

“Ela procurou narrar com detalhes, quase posso dizer, com um olhar poeticamente amoroso a sua infância, adolescência e juventude”, conta Josemir, “e como Clara Nunes se alimentou desse universo familiar e comunitário. Ela nos coloca no ambiente familiar e comunitário que sedimentaram o canto e a herança cultural de Clara Nunes”.

Não omite os dramas vividos na trajetória da família e de Clara Nunes, prossegue o autor. “Além disso nos apresenta o vigor de personalidades, a capacidade de luta, a determinação de pessoas simples, mas que por herança paterna sabiam ser seu próprio valor.” Está presente no livro “o laço amoroso de família; a particular relação construída entre ela, dona Mariquita, e sua irmã Clara Nunes. Os dramas de família são narrados com vigor e suavidade e não foram poucos”.

Apesar de ter aprovado o “copião” do livro, dona Mariquita, “lamentavelmente, não chegou a ver o livro pronto, mas não duvido que ela gostasse: ficou bonito. Meu esforço foi desenvolver um texto que o leitor tenha uma narrativa na primeira pessoa”.

Além disso, o autor espera que o leitor seja seduzido pelo texto. “Espero alcançar esse objetivo e que vocês tenham prazer de ler um livro, em forma de depoimento, que versa desde o nascimento de Clara Francisca, no distrito do Cedro, até ao momento mais dramático da vida de Clara Nunes, no Rio de Janeiro.”

Guerreira

Não se pode falar do samba no Brasil sem tratar de Clara Nunes. Nascida no Cedro, distrito de Paraopeba, hoje município de Caetanópolis, Clara Nunes era filha de um violeiro. Muito nova mudou-se para Belo Horizonte, onde trabalhou como operária numa fábrica de tecidos.
Nas horas vagas, cantava na noite e participava como “caloura” de programas de rádio, até que venceu um concurso estadual da Rádio Inconfidência, o que marcou o início de seu sucesso. Já no Rio de Janeiro e depois de muitas dificuldades, foi galgando seu espaço até se tornar uma das mais importantes cantoras do país.

Fez parcerias musicais e conviveu com importantes nomes do samba e da MPB, como Cartola, Paulinho da Viola, Vinícius de Moraes e Chico Buarque. Após uma carreira vitoriosa, faleceu prematuramente, mas se transformou num ícone musical. Seu repertório é sempre gravado por artistas atuais e, no ano passado, sua escola de samba do coração, a Portela, pela qual desfilava, apresentou como enredo sua vida e obra.

Em 2008, Clara Nunes e o Brasil mestiço foram tema do Inverno Cultural da UFSJ. Por meio de uma série de eventos, as reflexões suscitadas por sua arte foram tratadas pelo festival, relembra Sílvia. “Aquele Inverno Cultural foi um marco para a família dela, para todos nós. E uma aprendizagem para o nosso projeto de extensão. Naquele momento, todos perceberam a dimensão e a importância do acervo Clara Nunes para a cultura brasileira.”

Memorial

A arrecadação com a venda do livro será revertida em favor do Instituto Clara Nunes, entidade que administra o Memorial da cantora em Caetanópolis, onde está exposto o acervo pessoal da artista mineira. A construção e implantação desse centro de memória foi decorrência das pesquisas e do projeto de extensão coordenado por Sílvia Brügger.

A professora da UFSJ interessou-se pela vida e obra de Clara Nunes, como fonte de pesquisa histórica. Em 2003, começou a ter contato com os familiares da cantora, sobretudo com a irmã mais velha, que guardava, com muitas dificuldades, o acervo de Clara, principalmente roupas, documentos e objetos.

Dois anos mais tarde, “depois de idas e vindas a Caetanópolis”, Sílvia iniciou um projeto de extensão, que buscava catalogar o acervo, visando à implantação de um espaço de pesquisa e memória. O projeto tomou corpo e cumpriu seu objetivo maior: a implantação de um centro de memória que reúne rico acervo para pesquisadores e admiradores.

“Atualmente, o Memorial passa por dificuldades de manutenção, não temos ajuda do poder público local, e o livro vem numa hora feliz, pois poderá gerar recursos para o espaço ser mantido de forma mais satisfatória”, conclui a professora da UFSJ. 

Como comprar

A venda do novo livro será feita, inicialmente, apenas pela internet, com entrega pelos Correios. O endereço para aquisição é https://www.institutoclaranunes.com/.

Mais informações em: https://ufsj.edu.br/noticias_ler.php?codigo_noticia=8023

 

Comentários

  • Author

    Que legal. Josemir, colega de trabalho da E.E.Assis Resende . Ótimo professor de Filosofia.


Deixe um comentário

Faça o login e deixe seu comentário