Quem ama, faz Previdência


Informe Publicitário Sicoob Credivertentes

0

O que um empreendedor rural, uma dentista e uma advogada têm em comum? Em Resende Costa, o amor pela família e o cuidado pelo futuro dela. Algo que, no cooperativismo, pode ser resumido como Sicoob Previ.

 

Aposentadoria

Aiala Fernanda de Resende tem 23 anos. Filha de um lavrador e uma dona de casa, cresceu vendo os pais trabalhando de sol a sol em prol dos três filhos. “Quando minha irmã e eu fomos para a faculdade ao mesmo tempo, tentamos ao máximo ajudar nas despesas, mas o esforço maior foi deles”, conta. Recém-formada e conciliando os atendimentos em consultório com os teares, Aiala só pensa em retribuir ao pai e à mãe.

“Ninguém sabe o que o futuro reserva e, como duas pessoas muitos simples, não contavam com Previdência Privada. É o mínimo que posso fazer. No futuro, quando decidirem descansar, quero que o façam com qualidade e tranquilidade”, acrescenta. Por isso mesmo, aderiu ao Sicoob Previ pelos dois. Um atrativo? O investimento planejado e seguro.

 

Estudos

A advogada Ana Patrícia Resende Fernandes também quer cuidar do amanhã. Mas o foco é o filho, o pequeno Omar, de um aninho e dois meses. Hoje, o garoto espevitado é um apaixonado por bichos (em especial cavalos) e música.

Se farão parte de suas escolhas profissionais, difícil saber. Por outro lado, Ana tem outra certeza: a de que estará preparada para apoiá-lo. “No exato momento em que você se descobre grávida a alegria se mistura à preocupação. O amanhã não é só seu. É de um pequenino. E pra ele queremos o melhor em qualquer caminho que decidir seguir”, explica.

De acordo com Ana, o investimento mensal de apenas R$100 foi proposta irrecusável somada aos rendimentos e à confiança no cooperativismo.

 

Escolhas

O sorriso de Antonio Claret de Resende é tímido mas não esconde: avô pela terceira vez recentemente, ele carrega no semblante a tranquilidade de quem se orgulha dos filhos e quer ajudá-los no desenvolvimento dos netos: “Tudo o que um pai pensa é ‘não quero que passem o que eu passei’. Como avô, o sentimento duplica”, confessa.

Não por outro motivo, poupa desde já pelos pequenos Luís Miguel, Ana Laura e Murilo. Para Resende, 18 anos passam rápido e, em breve, o trio precisará de apoio para trilhar novos caminhos. “Se quiserem estudar, abrir o próprio negócio ou realizar um outro sonho, terão suporte, uma mãozinha pros começos, que sempre são difíceis”, encerra.

Deixe um comentário

Faça o login e deixe seu comentário