De mãos dadas com o Hospital Nossa Senhora do Rosário


Editorial

0

Quando as irmãs da Congregação das Filhas de São Camilo chegaram a Resende Costa, no dia 2 de fevereiro de 1954, a Santa Casa mal conseguia sobreviver. Os poucos recursos que entravam no caixa da instituição eram utilizados apenas para suprir necessidades básicas. Não sobrava dinheiro para investimentos como melhorias no prédio, contratação de profissionais da saúde, ampliação do número de especialidades médicas e de exames. As primeiras religiosas camilianas que aqui chegaram vieram movidas pelo ardor missionário. Eram praticamente voluntárias no trabalho de cuidado aos enfermos.

Uma reportagem especial desta edição do Jornal das Lajes destaca a trajetória das filhas de São Camilo, que neste mês completam 64 anos em Resende Costa. De 1954 para cá, a cidade mudou muito e o hospital também. Basta olhar para o entorno da praça Cônego Cardoso e constatar a expressiva transformação pela qual passou o endereço onde localiza-se o hospital. É bem verdade que lamentavelmente grande parte do patrimônio histórico do local onde a cidade começou foi descaracterizado “em favor do progresso”, no entanto, é justo reconhecer que importantes e necessárias melhorias surgiram, colaborando com o desenvolvimento de Resende Costa.

Ao longo dos 105 anos de emancipação política, dentre as inúmeras ações que ditaram os rumos do desenvolvimento de Resende Costa, destacam-se os investimentos em saúde. O Hospital Nossa Senhora do Rosário e as obras das irmãs camilianas são provas visíveis e contundentes deste salto qualitativo na cidade. Além de Resende Costa, o hospital atende hoje pacientes de diversas cidades da região: Lagoa Dourada, Prados, Ritápolis, Santa Cruz de Minas, Coronel Xavier Chaves, São João del-Rei, São Tiago, Desterro de Entre Rios, Piedade do Rio Grande, Dores de Campos, Nazareno, Ibituruna, Bom Sucesso, Tiradentes, Alto Rio Doce e Madre de Deus de Minas. Segundo a administração do hospital, eventualmente surgem pacientes de Belo Horizonte, São Paulo e outros estados para consultas ou exames através de convênios.

O JL teve acesso a um relatório do hospital referente ao ano de 2016. O documento detalha minuciosamente, e com transparência, os números e o percentual de atendimentos, internações, especialidades médicas, exames, procedimentos médicos e de enfermagem. Em 2016, foram realizados 27.039 atendimentos; 1.220 internações (SUS e não SUS), uma média de 6,304 pacientes internados por dia. Ao todo, foram realizados 72.279 atendimentos externos, como consultas, procedimentos e exames diagnósticos. De acordo com o relatório, 91,51% desses procedimentos foram feitos pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Dos 75 leitos de internação que dispõe o hospital, 55 são destinados ao convênio com o SUS. Conforme informou a administração, o relatório de 2017 ainda está sendo concluído.

O Hospital Nossa Senhora do Rosário oferece aos usuários diversas especialidades médicas: Clínico geral, Pediatria, Ortopedia, Geriatria, Dermatologia, Cardiologia, Oftalmologia, Urologia, Endocrinologia e Radiologia. Mas, para manter funcionando toda essa estrutura as irmãs lutam, diariamente, com muita dificuldade. 90% dos recursos que mantêm o hospital vêm do SUS. Segundo a administração, a tabela do SUS está defasada há mais de 20 anos. Isso significa que os recursos que chegam ao hospital não são suficientes para suprir a demanda atual. Há cirurgias realizadas no hospital pelas quais os médicos recebem apenas 47 reais! Uma situação insustentável.

Além dos recursos do SUS e da prefeitura municipal de Resende Costa, as comunidades atendidas pelo hospital, especialmente de Resende Costa e Lagoa Dourada, colaboram através de doações em dinheiro, alimentos e gado para os leilões anuais. Essas doações ajudam nas despesas, porém não são suficientes. Para que o hospital consiga manter o nível de excelência no atendimento aos doentes de Resende Costa e região, certas medidas terão que ser tomadas, como, por exemplo, uma renegociação com o SUS. Em breve, a direção do hospital lançará uma ação que pretende mobilizar as pessoas e benfeitores do hospital: a criação de um carnê de contribuição espontânea. As pessoas poderão adquirir esse carnê e contribuir, com a quantia que puderem, com o hospital e também com o Lar São Camilo.

O JL mais uma vez parabeniza as irmãs camilianas pelo belíssimo trabalho missionário que realizam em Resende Costa. Estamos juntos nesta importante causa e conclamamos toda a comunidade de Resende Costa e região para, junto com as irmãs, abraçarmos o Hospital Nossa Senhora do Rosário e o Lar São Camilo.

Deixe um comentário

Faça o login e deixe seu comentário