Vinho sem frescura

Quero que o vinho me aqueça nesse inverno!

10 de Agosto de 2017, por Amana Castelo Branco 0

Nada melhor nesses dias frios do que um vinho para aquecer o corpo e a alma. Se existe uma palavra que para mim define o inverno é “aconchego”.  Comer se torna mais prazeroso e alguns pratos são tão confortantes como um abraço. Nossa casa tende a ser o melhor lugar do mundo (a cama, nem se fala) e os programas ficam mais intimistas. 

Peço desculpas às outras bebidas, mas acredito que a que mais harmoniza com essa estação seja o vinho tinto. Tudo parece favorável para seu consumo, já que combina com as comidas quentes da estação, como as sopas, cozidos, massas, risotos e com vários pratos da nossa gastronomia mineira.

A cor vermelha leva nosso subconsciente a se sentir mais cálido e, já no primeiro gole, começamos a espantar o frio. Isso porque o vinho dilata os vasos sanguíneos, aumentando o fluxo nas artérias, o que provoca a sensação de calor.

Para quem se preocupa com as calorias adquiridas nessa época do ano, tenho uma boa notícia: um estudo realizado na Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, mostrou que o vinho tinto pode ajudar a bloquear o crescimento e desenvolvimento das células de gordura, tornando-se um bom artifício para o combate da obesidade. A substância que provoca essa maravilhosa reação é o piceatanol. Ele se liga aos receptores de insulina das células adiposas, que ainda estão livres no organismo e, com isso, impede que elas formem novos depósitos de gordura.

Mas é claro, seu consumo deve ser moderado. Assim, ele não ajudará apenas a manter a boa forma, mas também prevenirá inúmeras doenças, como o Alzheimer, doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, entre outras. Nada mal quando podemos aliar prazer com saúde, não é mesmo?

Os vinhos tintos são tão diversos, com tantas uvas distintas (Merlot, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Malbec etc.), elaborados em regiões muito diferentes que você não terá dificuldade em encontrar os que agradarão seu paladar.

Na hora de servir, fique atento à temperatura, para que você possa aproveitar ao máximo do que essa bebida tem a oferecer. O vinho é uma bebida delicada e repleta de nuances. Não existe nada de errado em você beber na temperatura que mais lhe agrade, mas algumas características são perdidas ou exaltadas quando estão longe da ideal.

Temos como regra que o vinho tinto deve ser servido na temperatura ambiente, mas esquecemos muitas vezes de pensar de qual país ou região é essa temperatura, bem como de qual estação.

A temperatura ambiente de que tanto se fala não é a brasileira, mas sim a europeia, que em boa parte do ano não ultrapassa 20 graus, temperatura perto da ideal (de 16 a 18 graus) para degustar os vinhos tintos.

Quando bebemos vinhos acima de 22 graus, nossa percepção do álcool aumenta, fazendo que pareça mais agressivo e alcoólico do que realmente é, escondendo aromas mais delicados. Por outro lado, se estiver gelado demais, perceberemos menos o seu teor de álcool. E, no caso dos vinhos tintos, se deixar muito tempo na geladeira, pode mascarar alguns defeitos da bebida. À medida que sua taça for esquentando você perceberá que aquele vinho não era tão bom quanto parecia.

Obviamente não é necessário ficar com um termômetro medindo precisamente a temperatura. Basta um pouco de atenção, prática e bom senso. Nesses dias mais frios, não precisamos fazer nada, só abrir e curtir. Nos dias quentes, alguns minutos na geladeira e ele atingirá uma boa temperatura, mas cuidado para não deixar gelar demais, sob pena de mascarar suas características.

Se quiser testar as diferentes sensações, na próxima vez que for beber um vinho, prove em diversas temperaturas e faça sua própria comparação!

Saúde!